• QUEM APOIA É
    TÃO IMPORTANTE

    QUANTO QUEM CONCORRE

    QUEM APOIA É
    TÃO REALIZADOR

    QUANTO QUEM CONCORRE

    QUEM APOIA É
    TÃO CORAJOSO

    QUANTO QUEM CONCORRE

  • NINGUÉM ACHA QUE A POLÍTICA

    NO BRASIL VAI BEM

    DIANTE DISSO, É POSSÍVEL:

    SEGUIR
    RECLAMANDO

    Xingar muito no twitter, espalhar notícias ruins no WhatsApp e postar textão no Facebook

    CANDIDATAR-SE A UM CARGO POLÍTICO

    Lançar-se como candidato/a, fildiando-se a um partido e tentando mudar a coisa por dentro

    OU

    APOIAR
    QUEM VAI 
    ENCARAR O DESAFIO

    Ajudar com seus recursos, seu conhecimento e/ou seu tempo de trabalho a viabilizar novos projetos na política

  • NESSAS ELEIÇÕES,
    QUEM APOIA É TÃO IMPORTANTE QUANTO QUEM VAI SE CANDIDATAR

    POR ISSO, CRIAMOS A CAMPANHA
    #EUBANCOADEMOCRACIA

  • MANIFESTO

    Não é possível falar em eleições sem discutir a influência do dinheiro.

    Infelizmente, a legislação eleitoral aprovada em 2017 concentrou recursos de campanha nas mãos de poucos sem que outras reformas políticas, eleitorais e partidárias tenham sido efetivadas. As regras estabelecidas para o novo fundo público de mais de R$ 1.7 bilhão favorecem de forma muito desequilibrada os atores que já têm mais poder, e as mudanças necessárias quanto à transparência e à democratização dos partidos foram mais uma vez ignoradas. Diante deste cenário, quem não tem o suporte de estruturas internas de grandes partidos, acesso ao fundo partidário ou capacidade de autofinanciamento fica em absoluta desvantagem.

    Como podemos, enquanto cidadãos, ajudar a democratizar a política?

    Em 2018, temos a chance de marcar um golaço em favor de eleições mais transparentes, mais justas e essencialmente mais democráticas! O financiamento eleitoral cidadão é um caminho para mudarmos esse jogo. Ao descentralizar as fontes de recursos, podemos combater a indesejada captura do sistema político pelo poder econômico, que nas últimas décadas contaminou gravemente nossas instituições.

    Financiando as boas candidaturas podemos promover a política que queremos.

    A trilha para uma democracia revigorada depende e muito da participação cidadã. O financiamento coletivo mostra a partidos, candidatos e à sociedade em geral quais projetos políticos possuem maior reverberação social. Doar não é apenas um meio para que possamos nos aproximar da arena pública e participar mais da vida política, mas é também um modo de fortalecer as candidaturas alinhadas com nossas ideias e valores.

  • "77% dos brasileiros são contrários ao uso do Fundo Eleitoral para campanhas.

    Ao mesmo tempo, 96% afirmam que não pretendem fazer nenhuma doação a candidatos este ano"

    - Carô Evangelista

  • COMPARTILHE

    Mobilize sua rede para financiar a democracia!
    Não esqueça de usar a hashtag: #eubancoademocracia

  • SOBRE A CAMPANHA

    A campanha nasce da percepção dos diversos atores políticos: movimentos, entidades e candidaturas de que há uma janela de oportunidade aberta pelo intenso debate sobre os impactos da promiscuidade entre o poder político e os interesses econômicos, pós escândalos de corrupção envolvendo grandes empreiteiras e políticos eleitos.


    Diante desse cenário tornou-se evidente que a equalização das forças entre o interesse da coletividade e o interesse econômico nas disputas dentro do Congresso e dos governos só será possível por meio da ampliação do número de parlamentares realmente independentes, que não sejam obrigados a se vincular a setores econômicos específicos para terem acesso a recursos para financiarem suas campanhas e disputarem as eleições em condições de equilíbrio com as tradicionais lideranças políticas.

     

    Este é um esforço para a conscientização da sociedade brasileira da importância da união dos esforços de cada cidadão para construção das candidaturas, por meio dos financiamentos coletivos, em prol do aperfeiçoamento democrático.

  • SIGNATÁRIOS

    Quer assinar? Entre em contato pelo email: contato@pactopelademocracia.org.br

    ORGANIZAÇÕES, MOVIMENTOS E COLETIVOS

    Acredito

    Agora!

    Bússola Eleitoral
    Conjunto 40
    Bancada Ativista

    Frente Favela Brasil

    Instituto Clima e Sociedade
    Instituto Update

    Mandato Cidadanista
    RenovaBR

    RAPS

    PRÉ-CANDIDATURAS

    (Em ordem alfabética)

    Clique, conheça, apoie e compartilhe:

    Ademar Bueno REDE

    Anápuáka Tupinambá PPS

    Anderson Quack PSOL
    Alessandra Monteiro REDE

    Alisson Endi PODEMOS
    Alessandro Vieira REDE
    Alexnaldo Palmeira REDE
    Andréa Reis REDE

    Anjuli Tostes PSOL
    Arão Josino PSD
    Bráulio José Pires PCdoB
    Bruna Barros PV
    Brunior Francisco Alves PCdoB
    Bruno Paiva REDE
    Camila Godinho REDE
    Capitão Tarley PROS
    Carlos Augusto Correa PCdoB
    Carlos Bettiati PROS

    Carlos Gomes REDE

    Daniel Cara PSOL
    Derson Maia PDT

    Dilmar Ferreira MDB
    Diogo Busse PPS

    Douglas Belchior PSOL
    Duda Alcântara REDE
    Emerson Menezes PT
    Evaldo Val REDE
    Fabiano Ferreirah PROS
    Fábio Cruz PSOL
    Felipe Ferreira Souza PPR
    Felipe Oriá PPS
    Felipe Rigoni REDE
    Fernando Balboa PCdoB
    Gabriel Santos REDE
    Geovane Estanislau PSB

    Giovanni Mockus REDE
    Hebert Pereira REDE
    Humberto Adami REDE
    Humberto Laudares PPS
    Israel Rocha PSB
    Ítalo Alves PPS
    João Francisco Maria REDE
    Joênia Wapichana REDE
    Juliana Cardoso PR
    Juliana Sales PHS
    Kelly Menezes REDE
    Laina Crisóstomo PSOL
    Leandro Grass REDE
    Leonardo Secchi PSB
    Lessandra Maione REDE
    Levi Costa PSOL
    Luiz de Jesus REDE
    Marcelo Calero PPS
    Marco Marrafon PPS
    Marcos Alvará REDE
    Margot Ramalhete PCdoB
    Marina Helou REDE
    Marivaldo Pereira PSOL
    Márlon Reis REDE
    Maycon Juan REDE
    Michelle Guimarães PR
    Nahyara de Jesus PCdoB
    Natalie Unterstell Podemos
    Nega Gizza PSOL

    Nilto Tatto PT
    Nilza Camilo REDE
    Niully Campos PSB
    Paulo Gontijo PPS
    Preto Zezé PCdoB
    Priscila Laurito PCdoB
    Randolfe Rodrigues REDE
    Renan Ferreirinha PSB
    Rita Pinheiro PPS
    Robson Borges REDE
    Tabata Amaral PDT

    Tamara Naiz PCdoB
    Thaynara Melo REDE
    Vagner Garcez PPS
    Vaneska Dias de Oliveira PCdoB
    Will Bueno PPS
    Zé Frederico REDE

    A assinatura das organizações, fundações ou movimentos políticos à campanha não representa, necessariamente, qualquer aval ou endosso aos partidos e/ou políticos também signatários. A presença de tais pessoas e movimentos nesta listagem significa, unica e exclusivamente, apoio à campanha #EuBancoADemocracia.

  • COMO AJUDAR

    A ideia é simples

    1

    Escolha seus/suas candidatos/as

    Pesquise as candidaturas que deseja apoiar nas eleições 2018. Inclusive aquelas que podem não estar na lista desta campanha ;)

    2

    Apoie as candidaturas em que acredita

    Faça sua contribuição, voluntarie-se e mobilize-se para fortalecê-las. Em geral, as páginas de campanha

    3

    Compartilhe nas
    suas redes

    Divulgue sempre o seu apoio utilizando a hashtag:
    #eubancoademocracia

  • NOTÍCIAS

    Divisão de fundo eleitoral privilegiará os caciques, admitem partidos ao TSE

    Folha de S.Paulo

    Em documentos enviados à Justiça, siglas dizem que darão preferência a atuais deputados.

    Um de cada seis congressistas gasta cota de gabinete com doador de campanha​

    Correio Braziliense

    Um cruzamento de dados de doações no TSE com os gastos da Câmara dos Deputados e Senado aponta um benefício 'cruzado' de R$ 2,5 milhões distribuído entre 92 deputados e senadores aos seus doadores

  • COMO FUNCIONA EM OUTROS PAÍSES

    ALEMANHA

    "Na Alemanha, a lei fomenta o engajamento dos cidadãos no financiamento das atividades partidárias, por meio de contrapartidas fiscais, via deduções sobre o imposto de renda, sob a perspectiva de que o financiamento privado por cidadãos é legítimo e, desde que observados tetos absolutos e relativos, inteiramente consentâneo da democracia, muito embora essas doações ainda não sejam robustas e culturalmente consolidadas no eleitorado alemão, não ultrapassando em geral 10 % do volume total de recursos, diversamente do que ocorre nos EUA. Por outro lado, as doações de filiados e mandatários é bastante comum e representativa, chegando a responder pelo mesmo volume de subvenções públicas ou mesmo superá-las". (SANTANO, 2014, p.133).

    ESPANHA

    "Na Espanha, as pessoas físicas podem realizar doações, observado o mesmo teto pessoal aplicável às pessoas jurídicas, de € 10 mil para partido ou coalizão. Essas doações não são comuns, dado o distanciamento existente entre os partidos e as bases eleitorais, mas foi determinante para o surgimento de um novo partido, o PODEMOS, que utiliza plataformas digitais para angariar fundos através de moderna técnicas de captação via financiamento compartilhado (crowdfunding) e pode despontar como alternativa para o rompimento desse lógica de dependência dos partidos do Estado".

    ESTADOS UNIDOS

    "Os Estados Unidos se destacam pela alta capacidade de mobilizar o pequeno doador nas campanhas eleitorais. A participação da sociedade civil nas eleições por meio do financiamento de candidatos e partidos, via doações individuais, é altamente desejável e reflete, em última análise, um legítimo exercício das liberdades democráticas, embora no Brasil não representem nem 10% do volume total de recursos disponíveis, enquanto chega a perfazer cifra superior a 60% da arrecadação nos EUA, no que tange às doações diretas a candidatos (SPECK, 2012).”

    Referência: *SANTOS, Danilo Morais dos. Análise político-jurídica da legitimidade constitucional do financiamento privado de campanhas. 2015. 103 f. Monografia (Bacharelado em Direito)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.